HOME NOTÍCIAS VÍDEOS BLOG SAL CULTURAL JORNAL O WESLEYANO CONTATOS

A influência do pietismo alemão foi poderosa na história protestante. O afilhado de Spener, o Conde Zinzendorf, importante líder dos irmãos morávios, trouxe grande impulso ao movimento missionário evangélico. Cada grupo de vinte cinco irmãos morávios sustentava um missionário. William Carey confessou ter tido a influência do exemplo morávio no seu zelo missionário. Através dos irmãos Morávios, John Wesley se converteu na Inglaterra, e, pelo seu ministério, a Inglaterra conheceu o maior avivamento espiritual de sua história.

A intrepidez, a confrontação pessoal e a linguagem direta caracterizaram a pregação dos metodistas. Contra o antinomianismo, pregava-se uma fé viva. John Wesley via a experiência da justificação pela fé não apenas como uma libertação das angústias e frustrações resultantes da busca por justiça própria, mas como um caminho para servir a Deus, motivado por amor, gratidão e devoção. A fé salvadora foi reconhecida como a “fé que opera pelo amor” (Gálatas 5: 6) e que nos permite dizer “não sou eu quem vive mais, mas Cristo vive em mim” (Gálatas 2: 20). Tratava-se de uma confiança pessoal no Jesus que “me amou e se entregou a si mesmo por mim” (Gálatas 2: 20).

Glauco Barreira Magalhães Filho
Teólogo, Pós-Graduado em Teologia Histórica e Dogmática,
Doutor em Ministério, é Diretor do Instituto Pietista de Cultura, em Fortaleza

 

FICHA TÉCNICA

Autor: Roger Olson e Christian Collins Winn
Tradução: Cloves Santos
Páginas: 192
Tamanho: 16x23
ISBN: 978-85-67383-19-4

 

De R$ 48,00 por R$ 38,40 + frete